Tuesday, December 18, 2007

Crer ou Não Querer...



Há coisas na vida que me surpreendem. Ainda hoje jantava com um amigo e confidenciava-lhe um certo desejo de levar a cabo uma iniciativa que pudesse ajudar-me a explicitar alguns dos meus pensamentos e algumas das minhas visões sobre o Mundo, sobre a Vida e sobre Deus. Algo meramente informal e desprovido de segundas intenções. Algo que pudesse pôr à prova os outros e também a mim mesmo.

E eis senão que, adivinhando os meus desejos, Deus fez vir até à nossa mesa duas meninas, na flor da idade, cuja falta de fé e de crença (especialmente numa delas) nos levou para um debate inteiramente psico-filosófico-existencialista. Um debate em que de um lado estavam os descrentes e do outro os acérrimos defensores de tudo o que se possa imaginar: o Amor, a Vida após a morte, a Felicidade Eterna, etc, etc, etc...

Para meu espanto deparei-me com uma jovem que se diz descrente no Amor, mas que espera encontrar o Amor da vida dela. Deparei-me com uma jovem que diz saber perdoar, mas que guarda rancor de quem lhe fez mal. Deparei-me com uma jovem que acredita que a Felicidade é deste mundo, que a sua plenitude em termos de Felicidade será atingida aqui, nesta vida.

E foi com grande satisfação que me deparei com tal pessoa. Obviamente que o meu amigo foi o primeiro a tentar abrir-lhe os olhos (na minha perspectiva, claro está), e eu garanto-vos que tentei ficar calado o tempo todo...Mas há coisas que não consigo consentir. Não que seja o supra-sumo das verdades da Vida, mas sinto que sei o suficiente para poder debater e rebater certas opiniões, principalmente quando estas são baseadas em pressupostos generalistas e pouco lógicos. Também me parece óbvio que isso dependerá sempre das crenças de cada um (para quem as tem, é claro), mas julgo que todos nós precisamos de acreditar em algo. Seja em Deus, seja no Amor, seja na Felicidade, seja no que quer que seja...

E após mais de duas horas de "discussão", lá foram as meninas embora. Acredito que algo terá mudado nas cabeças delas. Não que os argumentos do meu amigo e os meus fossem os mais correctos, mas sim porque ao fim e ao cabo conseguimos aquilo que pretendíamos: chamar a atenção daquelas duas mentes para factos que lhes são (e continuarão a ser, muito provavlemente) completamente desconhecidos e para situações que lhes passam totalmente ao lado. E porquê? Porque, pura e simplesmente, recusam-se a acreditar...

Mal elas sabem que Deus só nos mostra certas coisas quando realmente estamos prontos para as ver. Caso contrário não poderemos nunca assimilá-las e reconhecê-las. Mas elas sabem que o que não conhecemos não deve ser ignorado ou menosprezado, pois assim permaneceremos sempre na ignorância. Mal elas sabem que a Luz divina não pode ser dada a conhecer a todo e qualquer momento, visto que, dessa forma, perderia o seu carácter divino. Mal elas sabem que o que não sentimos existe, que o não vemos existe e o que não conhecemos é real. Mal elas sabem que a escuridão não está na sala desprovida de luz, mas sim nas almas que se recusam a procurá-la.

Mas foi profícua a nossa conversa. Gostei bastante de ter sido posto à prova. Foi importante para mim poder debater as minhas crenças, as minhas convicções e mostrar a pessoas descrentes que, por A+B, eu acredito; que por A+B, eu tenho Fé. E isso só acontece porque eu quero acreditar, porque eu quero ter Fé. Acontece porque não importam as privações, as expiações e as coisas menos boas pelas quais passamos. Tão pouco importa as coisas boas e cheias de situações positivas. Importa sim aprender com tudo isso. Importa sim interpretar os sinais que Deus e a própria vida nos dão. Importa sim querer crer e crer no que queremos. Importa sim sabermos que há algo mais para além da nossa compreensão, algo que merece o nosso respeito, a nossa atenção e, acima de tudo, a nossa reflexão. Seja Deus, o Amor, a Vida, etc...

É por isso que o post de hoje tem este título: porque nesta, e noutras vidas, tudo é uma questão de Crer ou Não Querer...

3 Comments:

Blogger MIDCO said...

Vejo que há coisas que não mudam mesmo ;) Aposto que conheço esse 'amigo' teu filósofo... Sabes que essas meninas provavelmente acreditam no amor, em Deus, na felicidade and so on, mas é sempre mais fácil (principalmente quando saímos magoados de alguma situação) dizer que não acreditamos, que não queremos nem cremos na vida e em Deus. Preferimos refugiarnos na mais pura e simples realidade e não viver de iluões nem daquilo que não vemos à olho nu... É mais fácil e evitamos umas série de situações menos boas que surgem dessa mesma crença...Tu não precisas de ser posto à prova, sabes o que queres e no que acreditas, pelo menos no que respeita a este tipo de questões 'filosóficas' ;)

10:25 AM  
Blogger Vanessa said...

Ja chocámos imensas vezes por causa deste tema...visto que eu nao sou propriamente uma pessoa que acredite em muitas das coisas que acreditas.
E por inclivel que pareça a minha crónica para Expressao Escrita foi exactamente uma, kase, resposta ao teu poste...(kuando houver oportunidade verás...)
[mas vais ficar traumatizado...assim como eu fico com muitas das coisas que dizes ...
lol]
Mas nao é por isso que nao tenho uma profunda admiração por ti, e por aquilo que és.Convicto, e pensador.
...parabens por isso!
Um beijinho*
Vanessa [Fadista] lol

4:50 PM  
Blogger R said...

O título sintetiza o resto.

Crer ou não querer, porque cada um acredita naquilo em que quer acreditar.

Não tenho muita paciência para discutir o tema porque não ganho nada com isso.

Mas eu creio que cada um sofre as consequências ( boas ou más ) do que fez anteriormente.
Sou mais pela responsabilização do indivíduo do que de Deus.

7:03 PM  

Post a Comment

<< Home